Topo
TIJUCAS | Quinta Feira, 09 de Julho de 2020
Loading
Topo Daqui Tijucas
Menu Daqui Tijucas Daqui Tijucas Notícias Impressa Contato

Notícias

05 de Junho de 2020 - 19:36:21

Vanessa: a menina sonhadora do Morretes

Estudante nasceu com uma má-formação em alguns órgãos e, aos 12 anos, precisa usar fraldas. Sem condições, família da menina precisa de ajuda
 
 
Vanessa: a menina sonhadora do Morretes

Vanessa mora com a família numa casa, às margens da BR-101 

 

Enquanto a mãe conta as lutas que Vanessa já enfrentou ao longo dos 12 anos de vida, a menina observa com olhar tímido, debruçada na porta. Por vezes interfere. Em outras, se cala. No meio de tantas dificuldades, uma das que mais causam constrangimento à estudante do sétimo ano, do Ensino Fundamental, é precisar usar fraldas. Quando pergunto “na escola riem de ti? Tem bullying?”, ela fica calada, baixa os olhos e não responde nada. O silêncio basta como resposta.  

Vanessa nasceu com um problema de formação em alguns órgãos – entre eles a bexiga e o intestino. Até hoje faz acompanhamento médico, tenta tratamentos e luta para ter uma vida normal, sem depender de fraldas e sondas, que fazem parte da sua rotina desde bebê 

Mora na beira da BR-101, no bairro Morretes, em Tijucas. Numa casa simples, de madeira, onde pelas frestas o frio e barulho não se acanham de entrar sem serem convidados. Vive com a mãe – que fica em função de olhar por todos durante todo o dia –, com o pai, que é acamado e depende de remédios e cuidados especiais, e com uma irmã que sofre de depressão profunda e raramente sai do quarto. E no meio de tanta dificuldade e poucos recursos, a menina segue sonhadora: “gosto de estudar, de ler e principalmente de jogar. Quando crescer, quero ser Gamer Designer [que cria e desenvolve de jogos]”, conta num tom menos acanhado, de quem se orgulha dos sonhos e pretende lutar por eles.  

Apesar de dizer que ama jogos, engana-se quem pensa que a menina vive num computador jogando. Não tem computador. Não tem internet em casa. A luta lá é para garantir o básico: alimentos e remédio para a família. “Ela reclama que não tem internet. Mas não dá. Temos que garantir o básico, com o dinheiro do pai, que recebe um salário mínimo, mas que toma cinco remédios que precisam ser comprados todo mês”, confidencia a mãe, Íris Aparecida Rosa, de 54 anos.  

 

PRECISAM DE AJUDA 

Apesar de tantas necessidades – desde o alimento, até as fraldas – Íris diz não conseguir pedir para as pessoas a ajuda. “Peço para Deus, e uma hora ele envia a resposta. Quando se passa pelas dificuldades que nós passamos, toda ajuda é bem-vinda. Tudo que puderem ajudar, sempre receberemos com muita gratidão”, comenta a mãe.  

Com a má-formação na bexiga, além de não conter a urina e precisar trocar muitas vezes as fraldas, Vanessa precisa, de três em três horas, colocar uma sonda para tirar parte da urina que fica armazenada no organismo – para diminuir os riscos de infecção. No entanto, como estuda pela manhã e não pode passar a sonda e nem fazer a troca de fralda, coloca duas – uma por cima da outra – sempre que vai para a escola. Geralmente amarra uma jaqueta na cintura para evitar que seja percebida. Enfrenta as dificuldades da vida com o brilho nos olhos de quem não quer desistir de acreditar num amanhã melhor.  

 

COMO AJUDAR? 

Toda ajuda é bem-vinda!  

- Todo tipo de alimento, inclusive frutas e verduras; 

- Fraldas: como Vanessa está numa idade em que a fralda infantil já não serve tão bem e a adulta fica grande, das marcas que testou, a Pampers infantil no tamanho XXG é única que lhe serve. Quando precisa usar outras que ficam pequenas na cintura, a mãe precisa completar passando fita crepe, que acaba machucando a pele da menina; 

Auxílio na compra dos remédios que não estão disponíveis no SUS; 

- Roupas de inverno. 

 

ENTRE EM CONTATO 

- Professora Eledir, na rua Alzemiro Pandini, 633, centro; 

- Izabel dos Anjos, na rua Lauro Muller, 54, bairro Praça; 

- Ou entre em contato com Cláudio do Jornal, no whatsapp 48/99134-3782.

 

 

Envie um Comentário

 

Últimas Notícias

Três trabalhadores perdem a vida durante o ciclone
HOMENAGEM DA COMUNIDADE DO PORTO DA ITINGA
Tijucas contabiliza os estragos pela passagem do ciclone
Fala Especialista
Lar Santa Maria da Paz pede ajuda por prejuízos da pandemia
Rodapé Daqui Tijucas Daqui Tijucas Notícias Galerias Vídeos Impressa Contato
Rodapé Contato Contato AmpliWeb Google Plus YouTube